O que você não deve fazer numa relação.

Muitos tem suas versões para o que não se deve fazer numa relação para zelar por ela, mas que tal saber sem precisar passar por um conflito? A aprendizagem por espelho é muito eficiente pois podemos nos auto avaliar numa situação que sentimos que pode estar em direção a ruínas, ou até mesmo nos preparar para quando estivermos vivendo uma. Cada pessoa é única embora suas necessidades possam ser universais e isso nos dá uma vantagem enorme se soubermos usar algumas técnicas.

Antes de mais nada, você deve entender que aprendemos sob duas situações: Na técnica –  ato de adquirir e internalizar  habilidades e fazer diariamente até se tornar habito (assim como escovas os dentes) e na emoção – vivermos uma situação e tomarmos uma porrada, daí não esquecemos mais por conta das marcas e gatilhos instalados que nos fará pensar duas vezes, antes de entrarmos numa situação que nos faz associar algo já vivido. Infelizmente não podemos evitar a aprendizagem na emoção pois cada dia é uma jornada misteriosa, mas quanto a aprendizagem técnica, podemos nos blindar em algumas situações do cotidiano.

O que leva o rompimento de relações?

  • Discordâncias onde o respeito não esteja presente – críticas
  • Não aceitação do outro,
  • Imposição das vontades;
  • Falta de empatia,
  • Comunicação fechada onde um tem que adivinhar o porque o outro está emburrado,
  • Falta de transparência.

Alguns pontos importantes que acabam afetando nossa identidade como sujeitos morais nos fazem recuar e ficar isolados num canto, muitos ainda criam um ambiente de vitimização como refúgio, outros contra atacam mas no final, nenhum dos dois são adequados. Mas e como fazer para evitar esse tipo de situação assim como os citados logo acima em tópicos? Sabemos como as palavras tem poder profundo de nos tocar e muitas vezes dói mais que um tapa na cara pois a marca fica no coração, depois de passar por um vasto processo mental que vai da raiva até a frustração, quando cai no coração se torna mágoa. Por essa razão é importante ter transparência na comunicação e para poder trabalhar na relação, dois pontos devem ser observados:

1º- Identidade: Aqui encontra-se nossa personalidade, ego e os demais valores que movem nossas ações. Esse é um ponto delicado de nossa existência que jamais deve ser criticada. Qualquer ato verbalizado como: Preguiçoso, incompetente, inútil entre outros de mesmo gênero ofendem altamente a identidade do sujeito causando ou uma reação emotiva contra atacando, ou inibindo a pessoa fazendo-a se auto criticar. Nossa personalidade passa por pequenas mudanças ao longo da vida e justamente por essas pequenas mudanças há um perigo em dirigir-se assim para alguém. Imagine um gestor chamar o colaborador de incompetente, inútil ou mesmo um pai dirigir-se assim com seu filho. As sequelas são drásticas para o colaborador que vai ter sua produção reduzida por sentir-se inferiorizado ou por trabalhar com raiva e a criança crescer com complexo de inferioridade.

2º- Comportamento: É a parte mais volátil onde se torna uma passagem para internalização de novos hábitos. O comportamento é mais aceito quando se trata de críticas (ainda sim há formas de se fazer uma). Através do comportamento podemos identificar com um olhar técnico que dispara os comportamentos, quais valores e sentimentos estão por trás que podem durar alguns segundos mas eternizar na mente de quem presencia. Por intermédio do comportamento pode-se dosar coisas novas para introduzir a personalidade. Essa parte seria a técnica onde consiste em reforçamentos e condicionamentos como Skinner explora em sua teoria behaviorista.

Nos deparamos em condições que devemos adequar nosso comportamento em diferentes ambientes por regras sociais, como na escola, no trabalho. Quando compreendi esse parâmetro na minha comunicação, pude testemunhar resultados diferentes das pessoas que convivi e comigo também. O que diz respeito a personalidade do sujeito, cabe a nós aceitar através do respeito mas incentivar seu desenvolvimento através do comportamento.

Por esse parâmetro que educamos nosso filhos mas durante o caminho se perde o que não deveria acontecer. Se você almeja ter boas relações com as pessoas, acredito que esse pensamento possa contribuir para um olhar diferenciado tanto na abordagem quanto na defesa quando alguém faz o oposto do descrito aqui.

Tente fazer isso, no começo pode ser difícil pois ficamos tentados a mandar uma direta na identidade da pessoa mas como qualquer outra coisa que façamos precisa de treinos, com essa não é diferente. Quando malhamos, estamos trabalhando nossa musculatura para se desenvolver, não muito diferente do conceito apresentado quando malhamos nossa percepção, mudamos aos poucos até fazer parte de nossa ação automática no dia a dia.

Tente e me conte como está se saindo.

Forte abraço!

Um comentário em “O que você não deve fazer numa relação.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s